Céu Aberto – Hungria Hip Hop

Céu Aberto – Hungria Hip Hop (Letra e Música para Ouvir)

Eu sempre estive o ego assim
Eu nunca deixei de lutar
Só meu travesseiro sabia a agonia que eu tinha de ver um novo dia chegar
O medo que habitava em mim
Teve medo só de me olhar
Quando eu acordei com a cara fechada
E gritei para o mundo “Eu nasci pra brilhar”

Um dia me disseram que todo poeta é louco e que não dorme bem
Um dia me olharam de lado e falaram baixinho “Não vai ser ninguém”
Um dia me disseram que todo poeta é louco e que não dorme bem
Um dia me olharam de lado e falaram baixinho “Não vai ser ninguém”

Drama, fama, trama, os traumas é foda em cima da minha cama
Quando paro pra pensar que quem me abraça não me ama
Todo final de semana os caras se afogam na lama
E querem me provar que os que eles fazem é o certo

Vou ser alguém só pra provar pra esses cuzão
Que os meus versos valem muito mais que ouro
É tipo um tiro direto no coração
Chegando antes do choro cair no olho

Imagine a vibe dentro do meu carro
Olha a fumaça saindo no teto
Tem vezes que o dia amanhece nublado
Mas dentro de mim sempre tem céu aberto

Um dia me disseram que todo poeta é louco e que não dorme bem
Um dia me olharam de lado e falaram baixinho “Não vai ser ninguém”
Um dia me disseram que todo poeta é louco e que não dorme bem
Um dia me olharam de lado e falaram baixinho “Não vai ser ninguém”

Vou ver sentado aqui da cadeira
Assistindo esse mundo acabar
E ver toda vez que eu bato olho
Meu santo me chama e implora que eu faça só uma oração
E que eu tire um minuto do dia pra por o joelho no chão
Vou pedir com fé que a guerra e a fome parem de assombrar
E que Nossa Senhora nos dias de luta venha me guiar
Que me livre do caos da rotina sangrenta, e do filme da guerra
E que meus inimigos não demorem muito pra cair por terra

Compositores: Marcelo Falcão, Hungria e Luan Padal

Lançamento de Músicas Sertanejo Maio 2024

Acesse as paradas do Musicas Mais Tocadas e Lançamentos.

Share
Share